14 de abril de 2017

Ritmo de recuperação do varejo está tímido - e por isso a redução da Selic é tão importante

A Associação Comercial de São Paulo (ACSP) repercute os números do varejo nacional divulgados hoje pelo IBGE e a decisão do Banco Central de reduzir um pouco mais a Selic.

Em fevereiro, segundo a Pesquisa Mensal do Comércio (PMC), as vendas do varejo restrito (que não inclui veículos e material de construção) recuaram 3,2%, frente ao mesmo mês de 2016, enquanto no caso do ampliado (que inclui todos os setores), a contração alcançou a 4,2%, na mesma base de comparação (acesse os dados completos aqui).

“O ritmo de recuperação das vendas está mais tímido do que o que se imaginava. Por isso, é urgente diminuir a taxa Selic de forma mais intensa”, diz Marcel Solimeo, superintendente institucional da ACSP. Ainda de acordo com ele, o comércio continuará mais alguns meses no campo negativo e poderá apresentar algum número positivo em algum momento do segundo semestre.

Solimeo aproveita para comentar a redução da taxa básica de juros feita pelo Banco Central: “É um corte muito bem-vindo. Com a queda de preços já dentro da meta para o ano, é preciso reduzir rapidamente a diferença entre a Selic e a inflação. Mais do que isso, a decisão do BC é uma ação concreta para alavancar a retomada da economia e, principalmente, conter o desemprego”.