21 de setembro de 2016

No Dia Internacional da Paz, ACSP reúne Serginho do vôlei, Nicette Bruno, Eva Wilma e outras personalidades

São Paulo, 21 de setembro de 2016. O Dia Internacional da Paz foi celebrado hoje de manhã na Associação Comercial de São Paulo (ACSP) por meio de homenagens a 13 personalidades que se destacaram na promoção da cultura de paz e no engajamento em causas sociais. Cada uma recebeu uma réplica do monumento Marco da Paz. 

Foram homenageados, entre outros, o jogador de vôlei Serginho, as atrizes Nicette Bruno e Eva Wilma e o secretário estadual de educação de São Paulo, José Renato Nalini.

O Marco da Paz foi idealizado por Gaetano Brancati Luigi - assessor especial da presidência da ACSP - para disseminar a cultura da paz pelo mundo e a união entre os povos. O primeiro monumento foi erguido no ano 2000 no Pátio do Colégio, centro da capital paulista. Hoje são 26 Marcos da Paz, em 20 cidades de oito países, entre elas Ciudad de Mexico, Mendoza (Argentina), Punta del Este (Uruguai) e Xiaolin (China), além de Assisi e Orsomarso, na Itália. 

“Eu sou o único atleta do mundo em esportes coletivos a disputar quatro finais olímpicas, tenho vários títulos, e o que são minhas medalhas diante de um troféu como esse? Nada! Nada. Porque ser exemplo dentro da quadra é muito fácil. Você faz um gol, e a criança quer ser igual a você porque você fez um gol. Se eu fizer uma defesa, a criança vai querer ser igual a mim por causa dessa defesa. Mas acho que temos de ser exemplo e pregar a paz fora da quadra, na vida. Dentro da quadra é muito fácil. Fora dela é que difícil”, declarou Serginho.  

“O que terá acontecido no coração das pessoas para esquecer a paz?”, questionou Eva Wilma, completando que a humanidade precisa se unir em prol de um mundo melhor.

Já Nicette afirmou que, apenas juntas, as pessoas conseguirão espalhar a paz pelo mundo. “Que nós possamos levar conosco essa sensação de paz para, onde quer que estejamos, possamos transmitir esse mesmo sentimento para todos”.  

Papa Francisco

O próximo Marco da Paz será instalado em Piracicaba (SP), em novembro.

Em 2005, Luigi foi recebido pelo Papa Bento 16, levando na ocasião uma réplica do Marco da Paz para o pontífice. Agora, ele será recebido pelo Papa Francisco no Vaticano, em 5 de outubro.

Nobel da Paz

Em razão de seu trabalho na promoção da paz pelo mundo, em 2016 Luigi foi indicado, pelo segundo ano consecutivo, ao Prêmio Nobel da Paz. A nomeação foi feita, tanto em 2015 quanto neste ano, pelo jurista Dircêo Torrecillas, após documentação coletada pelo historiador e conselheiro da ACSP, Heliodoro de Sá. “Quero agradecer a Deus por este momento de glória, reforçando que o amor é uma dádiva que deve ser praticada no mundo. E esse é o espírito da Associação Comercial de São Paulo. Nascemos para construir, não para destruir. Temos que cultivar o brilho da alma e não nos perdermos com o brilho do ouro”, disse o criador do Marco da Paz.  

“Paz é para todos. O ser humano tem que ter o sentido de paz dentro de si, porque assim ela é transferida para todo o mundo”, disse Alencar Burti, presidente da ACSP e da Federação das Associações Comerciais do Estado de São Paulo (Facesp).

Participaram da cerimônia Gilberto Natalini, vereador de São Paulo; João Bico, vice-presidente da ACSP e da Facesp e candidato à Prefeitura de SP; Rogério Almeida, diácono permanente da Arquidiocese de São Paulo; e Adolfo Savelli, coordenador do Conselho Cívico e Cultural da ACSP.

 

Homenageados

  • Nicette Bruno e Eva Wilma: atrizes de reconhecido talento, que há anos inspiram jovens e mostram como a arte pode mudar vidas. Atuam juntas atualmente na peça teatral "O que terá Acontecido a Baby Jane?"
  • Fundação Nossa Senhora Auxiliadora do Ipiranga: entidade que oferece assistência social e educação a crianças, adolescentes e idosos em situação de vulnerabilidade.
  • Coronel Alberto Tamashiro: coronel da Polícia Militar de São Paulo, laureado com a mais alta condecoração da PM. Já chefiou o Centro de Apoio Social da corporação.
  • Vilma Proença da Fonseca: fundadora do projeto Sarau Paulistano, que promove a inclusão de pessoas com deficiência por meio de literatura, arte e cultura.
  • Drª Frances de Azevedo: advogada e membro do Conselho Cívico e Cultural da ACSP e criadora do concurso "Poesia pela Paz", realizado nas escolas do estado.
  • Washington Luiz Correa: médico nefrologista há 42 anos que atua em Osasco, atendendo pacientes de baixa renda que fazem tratamento de hemodiálise.
  • Kibô-no-Iê - Sociedade Beneficente Casa da Esperança: entidade filantrópica que há 53 anos atua no amparo à pessoa com deficiência intelectual.
  • Mãos que Ajudam: programa da Igreja de Jesus Cristo do Santo dos Últimos Dias que há 15 anos ajuda comunidades por meio de reforma de praças, pintura de colégios e arrecadação de alimentos.
  • José Renato Nalini: ex-presidente do Tribunal de Justiça de São Paulo e atual secretário de Estado da Educação de São Paulo.
  • Sérgio Dutra Santos - Sérgio Escadinha: ex-jogador da seleção brasileira de vôlei e quatro vezes medalhista olímpico. Símbolo de como o esporte pode ser uma ferramenta de inclusão social.
  • Colégio Módulo: recebeu o concurso "Poesia pela Paz" em 2016, ajudando a promover a cultura de paz entre os alunos.
  • Colégio Madre Paula Montalt: recebeu o concurso "Poesia pela Paz" em 2016, ajudando a promover a cultura de paz entre os alunos.

 

 

Mais informações:
Renato Santana de Jesus
Assessoria de Imprensa
rjesus@acsp.com.br
(11) 3180-3220 / (11) 97497-0287